Médica atropela três pessoas em frente da estação de trem na Calçada

Médica atropela três pessoas em frente da estação de trem na Calçada

Acidente aconteceu por volta das 8h30

Por Visual News Notícias 11/05/2018 - 11:09 hs

Três pessoas foram atropeladas na manhã desta quinta-feira (10) por um carro que invadiu o passeio no Largo da Calçada, em Salvador. A vendedora ambulante Núbia Cristina Rosa Ferreira, 49 anos, foi ferida e levada para o Hospital Geral do Estado (HGE). O carro, modelo WRV - Honda, era dirigido por uma médica, que não teve o nome divulgado.

De acordo com o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu),  a condutora do veículo sofreu uma crise convulsiva e foi removida do local por populares. Não há informações se ela foi encaminhada para alguma unidade de saúde ou se teve ferimentos.

Segundo um parente de duas vítimas atropeladas, a estudante Laila Taís Costa da Silva, 17, estava na companhia da mãe, a dona de casa Vilmara da Costa, 50, quando foi atingida pelo veículo. As duas estavam no passeio quando foram surpreendidas pelo impacto do veículo, que saiu da pista avançando para o canteiro. 

Com o choque, mãe e filha caíram no chão. Laila teve uma escoriação no braço esquerdo e foi encaminhada para o HGE por uma ambulância do Samu. A mãe foi levada para o 16º Centro de Saúde Maria Conceição Imbassahy (Pau Miúdo). As duas passam bem. 

Laila contou ao tio, Raimundo Carlos, 47, que as duas saíram de casa, no Jardim Cajazeiras, para uma consulta médica no bairro de Roma. As vítimas, a caminho do compromisso, desceram para realizar um jogo em uma casa lotérica, na Calçada. O atropelo aconteceu enquanto as duas esperavam o sinal fechar para atravessar. Elas seguiam para um ponto de ônibus.

 

Laila disse ainda que a médica vinha em baixa velocidade e que, após passar mal, avançou para a calçada. A médica, segundo Laila, permaneceu no local após o acidente, se comprometendo a arcar com os prejuízos causado pela batida.

A médica trabalhava na Clínica Clivale, também na Calçada. A coordenadora da clínica, Lorena Avelino, disse que iria procurar os feirantes para ressarcir os prejuízos. Avelani não quis falar com a reportagem do CORREIO.

Susto

A ambulante Tatiana Araújo chegou às 7h com a prima, Elaine, à feirinha. Pouco tempo depois, às 8h30, quando ainda arrumava a mercadoria, avistou um carro vindo em sua direção. "Tomei um susto, pensei 'oxe, o que é esse carro vindo aí?' Achei que ia bater em tudo aqui", contou a comerciante. Segundo ela, o veículo estava em alta velocidade.

Ela não foi atingida, mas calcula que o acidente tenha lhe causado um prejuízo de R$ 3 mil. "Caixas quebradas, uma balanca destruída, frutas amassadas", calcula. "Eu não sei o que vou fazer não. Vamos ver ai se alguém procura a gente", desabafa Tatiana.

As duas eram uma das poucas comerciantes no local. Somente elas, Núbia, que foi atingida pelo carro, e Fábio dos Santos, sobrinho da vitima, já estavam trabalhando na hora do acidente.

O feirante viu a tia e as duas clientes caírem ao seu lado, logo após avistar o carro em branco em direção aos vendedores. "Foi tudo muito rápido. Depois, todo mundo teve que ajudar pra rearrumar as coisa", lembra Fábio. Núbia trabalhava como feirante no local há 10 anos, conta o autônomo.

De acordo com a Superintedência de Trânsito de Salvador (Transalvador), o acidente deixou quatro feridos e foi causado pelo veículo WRV Honda - o condutor teria perdido o controle e invadido uma calçada.

"O veículo foi removido ao pátio da Transalvador, nos Barris. O Samu prestou atendimento aos feridos, não houve morte. O tráfego ficou congestionado na via. As causas do acidente devem ser apontadas por perícia do Departamento de Polícia Técnica (DPT)", afirmou o órgão de trânsito em nota. 

*Com supervisão do chefe de reportagem Jorge Gauthier