Cittamobi é usado por 1,3 milhão de passageiros de transporte coletivo

Cittamobi é usado por 1,3 milhão de passageiros de transporte coletivo

Aplicativo é o recordista nacional de downloads entre as ferramentas semelhantes e também tem versão acessível para cegos

Por Visual News Notícias 28/08/2017 - 10:02 hs

O aplicativo Cittamobi atende 1,3 milhão de usuários do sistema de transporte coletivo de Salvador, que utilizam smartphones e não saem de casa sem checar antes o horário em que a sua linha vai passar no ponto. A ferramenta é recordista de downloads no país, entre os serviços com a mesma finalidade. E também possui uma versão específica para cegos, com funcionalidades adaptadas.

De acordo com o secretário de Mobilidade de Salvador (Semob), Fábio Mota, essa versão acessível do app soteropolitano, também é inédita entre as capitais brasileiras. A ferramenta, explica Mota, é um dos braços do CCO (Centro de Controle Operacional) da Semob, que entrou em operação em 2015, como uma das iniciativas da prefeitura para modernizar a gestão do sistema de transporte público da cidade.

No CCO, os ônibus do serviço regular da capital são acompanhados por um sistema integrado de monitoramento 24 horas por dia, algo também pioneiro em termos de ações municipais para melhorar a mobilidade urbana. O tema mobilidade, inclusive, é um dos que estará em discussão no seminário Cidades, no Fórum Agenda Bahia 2017, que acontece em 30 de agosto, na Fieb. Uma das palestrantes, Clarisse Linke, diretora executiva do Instituto de Políticas de Transporte e Desenvolvimento, vai apresentar a palestra A mobilidade e o futuro das cidades.

Com câmeras instaladas nos coletivos, o monitoramento do CCO é baseado em georreferenciamento (GPS). O centro de controle capta as informações extraídas do Cittamobi e das câmeras e cria relatórios diários que, além de mapear todo o deslocamento dos coletivos, ainda oferece informações úteis para a administração municipal melhorar o sistema. Na central localizada na sede da Semob, em Amaralina, chegam informações de tudo o que acontece durante as viagens dos ônibus.

“Você sabe se o ônibus está na garagem, se está no itinerário certo da viagem. É avisado em tempo real quando tem greve, por exemplo, de onde tem menos coletivos para que a prefeitura possa tomar as providências e relocar linhas; sabe quem é o motorista, o cobrador e ainda possibilita que outros órgãos do município sejam informados de situações das suas competências”, enumera Fábio Mota.

Fiscalização compartilhada

No CCO os ônibus são monitorados 24 horas por dia, com um sistema de georreferenciamento

(Foto: Evandro Veiga)

O secretário cita um exemplo de melhoria direta após a implantação do serviço. Segundo ele, a linha Cajazeiras-Lapa tinha um cronograma diário de 12 viagens que nunca eram cumpridas na totalidade, por conta dos engarrafamentos na região da Grande Salvador. Com base nos dados enviados pelo aplicativo para o CCO, a prefeitura realizou as ligações dos bairros de Cajazeiras 5 a Cajazeiras 8 e, de Cajazeiras com a BR-324. Com as intervenções, o trajeto até a Lapa passou a contar com 14 viagens diárias realizadas.

“As informações continuam ajudando na melhoria da mobilidade da cidade. Também tínhamos um problema crônico no subúrbio, na área de Plataforma, que foi resolvido com intervenções como a requalificação da avenida Suburbana, a criação de novos retornos e outras ações, graças aos dados extraídos no CCO”, acrescenta.

Além de mostrar o planejamento das linhas de ônibus da cidade, permitindo acompanhar e fidelizar aquela mais útil ou de preferência para determinado deslocamento, e dando os horários das viagens, o Cittamobi possibilita interações que levam o usuário a colaborar com a administração municipal, inclusive fiscalizando o funcionamento do sistema. O aplicativo tem funcionalidades em que o passageiro avalia atrasos, itinerário, limpeza dos ônibus, comportamento dos motoristas e excesso de velocidade, entre outras. 

“Para o passageiro é ótimo, dá para ele calcular se vai usar o bilhete único (dois ônibus, em duas horas, pelo preço de uma passagem); enquanto nós coletamos todas as informações que vão servir de base para decisões administrativas”, afirma Mota. 

O CCO e o Cittamobi também serviram de base para a criação do NOA (Núcleo de Operação Assistida), da Transalvador, que funciona para monitorar o trânsito da capital. Nesse caso, o usuário também faz interações com o núcleo, o que segundo Mota possibilita aos agentes da Transalvador agirem mais rápido nas ocorrências. Outro derivado direto do centro de operações da Semob é o aplicativo Kim, que permite a recarga do Salvador Card diretamente do smartphone.